30.11.15

Índice de Receitas - Revista Bimby nº 61 (12/2015)


ENTRADAS

• Foie gras - Paté de fígado
• Tempura de grelos com maionese de ovas

SOPAS

• Creme cor de laranja
• Sopa de alho-francês e frutos do mar

PRATOS DE PEIXE

• Bacalhau fresco a vapor com molho de azeite e limão
• Koulibiac - Lombo de salmão em massa folhada
• Lombos de pescada com migas de nabiça e feijão-frade
• Risoto de garoupa com manjericão
• Risoto de lagostins
• Tarte de bacalhau e rosti de batata

PRATOS DE  CARNE

• Açorda de alheira e grelos
• Guisado de frango com gnocchi de batata-doce
• Papas de serrabulho à moda de Braga
• Peru com farofa
• Strogonoff de vitela e espinafres com massa
• Tagliatelle com alho-francês, chouriço e cogumelos

PRATOS VEGETARIANOS

• Hambúrgeres de batata-doce e grão
• Pataniscas de bróculos
• Quiche de legumes com base de azeitona

BOLOS E SOBREMESAS

• Árvores de Natal Iswari
• Azevias de batata-doce e amêndoa
• Bavaroise de avelã com molho de cacau e mel
• Biscoitos de leitelho
• Biscotti com chocolate branco e fruta cristalizada
• Bolas de neve
• Bolo de chocolate de caramelo e azeite
• Bolo de chocolate e beterraba
• Bolo de coco
• Bolo-rainha com pepitas de chocolate
• Cuajada de bolacha Maria
• Fondue de chocolate em frascos com bolachas de especiarias
• Mousse de framboesa e chia
• Panettone
• Pudim abade de Priscos
• Pudim de pinho e pinhão
• Queijadinhas
• Red velvet com gelado
• Salame de chocolate e pistácio
• Sonhos da Anabela
• Sonhos de cacau
• Sopa de frutos vermelhos e scones de coco
• Tarte de flan e maçã
• Tarte de Natal
• Tarteletes de framboesa
• Tronco de Natal e creme praliné

CRUDIVORISMO

• Bolachas de gengibre
• Crackers de cenoura desidratados com creme de barrar aromatizado
• Cubinhos de banana desidratada e cacau
• Smoothie de banana e fico seco

SEM GLÚTEN

• Bolo inglês sem glúten
• Fondant de chocolate e castanha

28.11.15

Brigadeiros

Este é um bom exemplo de uma receita que só não faço mais vezes porque desaparece num ápice! Aqui em casa somos fãs dos brigadeiros tradicionais, por isso recorro frequentemente à receita do livro base [sucesso garantido]. Se nunca experimentaram, têm de o fazer.
São também uma boa sugestão para as festas de aniversário.


BRIGADEIROS
[Receita do Livro Base]


Ingredientes:
- 1 lata de leite condensado
- 50g chocolate em pó
- 20g manteiga
- Granulado de chocolate q.b. para decorar
- Formas de papel pequenas

Preparação:
1. Coloque no copo todos os ingredientes, excepto o chocolate granulado e programe 12 min/ Varoma/ vel. 4. Substitua o copo de medida pelo cesto para evitar salpicos.
2. Retire de imediato para um recipiente untado com manteiga e deixe arrefecer. Coloque no frigorífico cerca de uma hora para ganhar consistência.
3. Unte as mãos com manteiga e faça pequenas bolas, envolva no granulado de chocolate e coloque em formas de papel.


NOTAS DA FORMIGA:
- Caso não tenha chocolate em pó, poderá pulverizar a mesma quantidade de chocolate de culinária 10 seg/ vel. 9
- Numa das edições do livro base da Bimby TM31, esta receita vinha com uma gralha, o que fazia com que a mistura para os brigadeiros ficasse líquida. A diferença é que em vez dos 12 minutos de cozedura, a receita pedia 25.

27.11.15

Choux de bacalhau [para dois]

Uma das dúvidas que os meus clientes da Bimby me colocam com mais frequência é se podem fazer apenas metade das receitas. Para além de todos os electrodomésticos que substitui, a Bimby também faz de fogão. Logo, se no tacho fazemos apenas a quantidade que queremos, aqui temos de seguir a mesma lógica.

Cá em casa somos dois, por isso não são raras as vezes em que adapto as quantidades para não termos de andar a comer a mesma coisa durante uma semana. A receita de choux de bacalhau é apenas um exemplo [neste caso, as quantidades foram reduzidas a metade mas os tempos são os mesmos].


CHOUX DE BACALHAU
[para dois]


Ingredientes:
- 85g farinha (usei farinha de espelta)
- 1 colher de chá de fermento em pó para bolos
- 3 pés de salsa (picar só as folhas)
- 250g água
- 175g bacalhau demolhado e limpo
- 30g manteiga
- 1 tira de casca de limão
- 2 ovos grandes
- Sal e pimenta q.b.

Preparação:
1. Coloque uma taça sobre a tampa da Bimby e pese a farinha. Junte o fermento e reserve.
2. Deite no copo a água e o bacalhau e programe 6 min/ 100º/ colher inversa/ vel. colher
3. Com a ajuda do cesto, coe o bacalhau e reserve a água da cozedura.
4. Coloque no copo o bacalhau e desfie 5 seg/ colher inversa/ vel. 4. Reserve.
5. No copo coloque 125g da água reservada, a manteiga, a casca de limão e programe 3 min/ 100º/ vel. 1
6. Retire a casca do limão. Junte de uma só vez a mistura da farinha reservada e programe 15 seg/ vel. 4. Retire o copo da base e espere um pouco até que a temperatura atinja os 50º. Verifique a temperatura colocando de novo o copo na base.
7. Pré-aqueça o forno a 200º
8. Numa taça e com a ajuda de um garfo, bata os ovos. Programe 20 seg/ vel. 4 e deite os ovos através do bocal da tampa.
9. Junte o bacalhau a salsa picada, o sal, a pimenta e programe 10 seg/ vel. 4
10. Com a ajuda de duas colheres, disponha pequenos montes de massa num tabuleiro forrado com papel vegetal e leve ao forno cerca de 30 minutos.



25.11.15

Marmelada de marmelo vs Marmelada de gamboa

Saiu a última remessa de marmelada deste ano, para acabar com as gamboas que me tinham oferecido. Por isso mesmo, está na hora de fazer a comparação entre esta versão e a tradicional.

Depois de ter conhecido este fruto e de experimentar fazer ambas as versões, confirma-se que a marmelada de gamboa é bem mais doce. Tanto numa como noutra cortei no açúcar [habitualmente, neste género de doces, a proporção é 50-50], mas enquanto que na versão tradicional se notava uma ligeira acidez própria do marmelo, na marmelada de gamboa percebi que esta redução é quase obrigatória, caso contrário ficará enjoativa. No que diz respeito aos tempos de cozedura, fiz exactamente da mesma forma.

Uma coisa é certa: fazer marmelada na Bimby não dá trabalho nenhum e, na minha opinião, fica melhor que a de compra. O único trabalho é descascar a fruta, principalmente se for biológica, pois retirando todos os furinhos, o desperdício ainda é grande.

Depois da experiência, fica a recomendação: para os mais gulosos, façam a marmelada de gamboa. Se preferirem sentir ligeiramente a acidez da fruta, optem pela versão tradicional.



24.11.15

Lombos de pescada com batatas, azeite, alho e coentros

Esta é uma receita prática para quem não tem muito tempo ao final do dia mas pretende fazer uma refeição saudável. As batatas e os lombos de pescada são cozidos em simultâneo e em apenas 25 minutos. Apesar da rapidez, fica muito saboroso.


LOMBOS DE PESCADA COM BATATAS, AZEITE, ALHO E COENTROS


Ingredientes:
- 100g azeite
- 4 dentes de alho
- 10g coentros
- 6 lombos de pescada (descongelados)
- 2 colheres de chá de sal
- pimenta q.b.
- 1000g água
- 600g batatinhas novas

Preparação:
1. Coloque no copo 30g de azeite, 2 dentes de alho e os coentros, pique 3 seg/ vel. 8 e refogue 3 min/ Varoma/ vel. 1
2. Coloque na Varoma uma folha de papel vegetal e disponha os lombos de pescada. Tempere com 1 colher de chá de sal e pimenta e por cima distribua o refogado. Feche o papel vegetal, tendo o cuidado de não tapar todos os orifícios para permitir a passagem do vapor. Reserve.
3. Coloque no copo a água, 1 colher de chá de sal, o cesto com as batatinhas e a Varoma com a pescada. Coza 25 min/ Varoma/ vel. 1. Retire e reserve.
4. No copo coloque 70g de azeite e 2 dentes de alho, pique 3 seg/ vel. 8 e refogue 3 min/ Varoma/ vel. 1. Sirva os lombos de pescada com as batatas envolvidas no azeite com alho.

23.11.15

Tarte de abóbora e tofu fumado

Depois de uma semana complicada com o que tudo indicou ser uma gastroenterite, apetecia-me "comida de gente" em vez das sopas, torradas e chá que andava a comer há 5 dias.
Um dos alimentos recomendados para esta fase de recuperação foi a abóbora, por isso lembrei-me de uma tarte de abóbora e tofu fumado [receita da Isabel] publicada no blog "Dias de uma Princesa". Como tinha uma abóbora hokaido* em casa, pareceu-me uma excelente ideia!


TARTE DE ABÓBORA E TOFU FUMADO


Ingredientes para a massa:
- 200g de farinha de espelta
- 5 colheres de sopa de azeite
- 1/2 chávena de água
- 1 pitada de sal

Ingredientes para o recheio:
- 500g de abóbora
- 2 ovos
- 100ml de natas (soja ou aveia)
- 50g de queijo ralado (sugestão: parmesão)
- 100g de tofu fumado (cortado em tiras finas)
- oregãos, sal e pimenta, q.b.

Preparação:
Pré-aquecer o forno a 200º
1. Lavar a abóbora, retirar as sementes e as pontas e cortar em pedaços. Colocar num pyrex temperada com sal, pimenta, azeite e oregãos e levar a assar ao forno cerca de 25 minutos.


2. Fazer a massa misturando todos os ingredientes [Bimby: coloque todos os ingredientes no copo e programe 10 seg/ vel. 6]. Formar uma bola e esticar com um rolo da massa. Colocar numa tarteira, picar com um garfo e reservar.
3. Quando a abóbora estiver cozinhada triturar (sem retirar a casca) com os restantes ingredientes (excepto o tofu) 30 seg/ vel. 7, verificar os temperos e colocar na tarteira. 
4. Espalhar o tofu por cima, polvilhar com oregãos e levar ao forno pré-aquecido a 180º cerca de 40 minutos


NOTAS DA FORMIGA:
*Para quem não está familiarizado com esta variedade de abóbora - a hokaido - aqui fica a fotografia das que comprei no Continente (biológicas).


22.11.15

Dealer de sucre

Este é um daqueles casos em que a expressão "uma imagem vale mais que mil palavras" ganha todo um novo significado. Dealerdesucre é uma conta de instagram que se dedica a fotografar alimentos com a respectiva quantidade de açúcar ao lado, representada em cubos de 5g. Na legenda de cada imagem, vem ainda descriminada a quantidade exacta presente em cada produto, como por exemplo, uma lata de Coca Cola de 33cl tem 35g de açúcar. Se tivermos em conta que a dose diária recomendada pela Organização Mundial de Saúde é de 25 gramas, apenas num refrigerante já ultrapassámos essa quantidade.


Numa época em que as campanhas contra o consumo de açúcar refinado são tema quase diário na imprensa e nas redes sociais, esta poderá ser uma forma mais imediata de alertar a sociedade para os riscos associados a este tipo de alimentos e também para a importância de aprendermos a ler os rótulos. Apesar de hoje em dia já todos termos ouvido que produtos como os refrigerantes, os cereais ou as bolachas têm quantidades de açúcar muito acima do desejável, não há nada como vê-los representados graficamente para termos a verdadeira noção.

45g M&M's = 25g açúcar

100g Oreo Double = 43g açúcar

100g Chocapic = 28,8g açúcar

90g Mikado chocolate de leite = 37g açúcar

Pessoalmente, confesso que uma das imagens que mais me impressionou foi a da Nutella [quem não gosta de Nutella?]. Apesar de não comprar, como apreciadora de chocolate que sou, admito que sabe bem de vez em quando. Mas só de pensar que num frasco de 440g, 249g são açúcar, acredito que o bem que sabe não compensa o mal que faz.


Uma coisa é certa: numa volta rápida por qualquer supermercado, depressa constatamos que a maior parte dos alimentos que se encontram nas prateleiras ao nível dos nossos olhos são os menos benéficos para a saúde. Dito isto, devemos prestar mais atenção ao que compramos, aprender a ler os rótulos e não nos deixarmos influenciar pela publicidade enganosa das marcas. Afinal, a informação é a nossa melhor arma.


NOTA DA FORMIGA:
- Todas as imagens deste post foram retiradas da conta do instagram Dealerdesucre

21.11.15

Elogiar não tem preço mas tem muito valor

No dia-a-dia andamos tão preocupados com a nossa vida e os nossos problemas que muitas vezes passamos ao lado do mais elementar: as coisas que não têm preço mas que têm muito valor.

Esta semana dirigi-me à Vodafone do Colombo para resolver um assunto muito concreto: desbloquear um telefone. O funcionário que me atendeu foi desde logo muito prestável e, depois de me ter ajudado, sem eu me aperceber, consulta o meu tarifário do serviço Tv Net Voz e informa-me que existe um plano mais vantajoso que me permite ter uma redução de cerca de 5€ na factura mensal. Fiquei espantada com a amabilidade e com facto de ter tomado a iniciativa sem que eu tivesse pedido nada.

Disse em jeito de brincadeira que queria o livro de recomendações e eis que o funcionário me informa que esse livro existe! Pedi que mo trouxesse para que o pudesse elogiar por escrito pelo seu bom trabalho, porque não se limitou a ajudar no assunto que me levou à loja, como graças a ele saí de lá com uma poupança na factura [hoje em dia, quem é que não quer?].
Demorou 2 minutos a escrever e, pela reacção dele, tenho a certeza que com aquele pequeno gesto tornei o seu dia melhor.


Sempre que vos fizer sentido, nao se inibam em dedicar dois minutos ou apenas uns segundos tornando o dia de alguém mais especial. Quem diz um elogio, diz também um sorriso. Não custa [literalmente] nada e para alguém pode representar tudo.

20.11.15

Maria Granel

Quem pratica um estilo de vida saudável sabe que uma das regras de ouro é comprar o máximo de alimentos a granel e, sempre que possível, biológicos. No entanto, nem sempre é fácil ir apenas a um sítio que tenha tudo o que queremos, com boa qualidade, sem que seja necessário recorrer a produtos embalados e às quantidades que não precisamos. 

A partir desta 2ª feira esse problema acabou. Abriu portas em Alvalade a Maria Granel, uma mercearia biológica que, tal como o nome indica, vende exclusivamente produtos a peso. 



Aqui podemos encontrar de tudo um pouco e de forma muito ecológica: vários tipos de farinhas, leguminosas, cereais, frutos secos, arroz, chás ou especiarias, tudo irrepreensivelmente disposto em caixas e dispensadores para que seja o próprio cliente a servir-se livremente.



Pela loja podemos encontrar balanças para irmos pesando as nossas compras.


E para os mais gulosos [como eu] há também gomas biológicas!


O único produto vendido em frasco é o mel, retirado directamente de um recipiente em inox, e apenas na quantidade que queremos.


O atendimento é igualmente bom. Conheci a Cristiana, responsável pela loja, que me recebeu com um sorriso e com quem troquei dois dedos de conversa. Saí de lá com a certeza que me fidelizei a este conceito.


Rua José Duro, 22B - Alvalade

15.11.15

Marmelada de gamboa

Depois de ter recebido um saco de gamboas e de ter feito uma pesquisa sobre este fruto tão parecido com o marmelo, só tinha ficado a faltar uma coisa: fazer marmelada!


A parte que deu mais trabalho foi arranjar as gamboas. Para além de as ter achado bastante rijas, o facto de serem biológicas requer mais tempo (e paciência) para remover todos os buraquinhos, o que faz com que sejam precisas várias gamboas para conseguir uma quantidade que se veja.

Guiada pela minha receita de marmelada convencional, fiz a experiência e gostei muito do resultado. A marmelada ficou óptima de sabor, embora ainda tenha de ficar mais uns dias a secar para ganhar a consistência que eu gosto, de cortar à fatia.
No entanto, e por falar na consistência, assim como está deve ficar óptima nuns húngaros!


MARMELADA DE GAMBOA
[rende duas taças]


Ingredientes:
- 500g gamboas (já descascadas e descaroçadas)
- 350g açúcar
- umas gotas de limão

Preparação:
1. Descasque as gamboas e retire os caroços.
2. Coloque no copo as gamboas e o açúcar, adicione umas gotas de limão e triture 30 seg/ vel. 9
3. Em seguida programe 60 min/ 100º/ vel. 3
4. Retire o copo de medida e coloque o cesto por cima para evitar salpicos. Programe 20 min/ Varoma/ vel. 3
5. No final do tempo programe 30 seg/ vel. 3, 5, 7 progressivamente [TM5: 30 seg/ vel. 5 e 7 progressivamente]
6. Divida por duas taças e deixe arrefecer. Tape com papel vegetal.


NOTAS DA FORMIGA:
- Segundo os entendidos, a marmelada feita com gamboa fica mais doce, pelo que não necessita da mesma quantidade de fruta e de açúcar.

13.11.15

Diferença entre marmelos e gamboas


Ontem a minha vizinha ofereceu-me um saco de marmelos que afinal eram gamboas. Não fazia ideia que existiam marmelos e gamboas e, a julgar pela aparência, ia jurar que eram a mesma coisa.
Mas já que a mãe natureza nos proporciona este jogo do "descubra as diferenças", vamos aproveitar para aprender mais qualquer coisa...


O marmelo e a gamboa são da mesma família, embora muita gente não os consiga distinguir. Enquanto que o marmeleiro é praticamente um arbusto selvagem, de fruto ácido e perfumado, o gamboeiro, sendo uma variedade de marmeleiro, tem uma aparência de árvore de fruto. As gamboas costumam ser maiores, mais saborosas e com menor acidez. 

O que eu também não sabia é que por vezes as grandes superfícies vendem gamboa como se fosse marmelo. Segundo consta, para ver a diferença basta cheirar; o marmelo é um fruto perfumado e a gamboa não tem cheiro. Outra característica é que a gamboa tem uma casca mais rugosa e a do marmelo é mais lisa [agora que comparei com a fotografia que tirei aos marmelos que apanhei em Setembro, começo a perceber as diferenças].

[marmelos]

Relativamente às utilizações, a gamboa pode ser consumida crua enquanto que o marmelo deve ser submetido a uma cozedura, sendo o mais habitual transformá-lo em marmelada ou geleia. No entanto podemos fazer marmelada com ambos [que será, inevitavelmente, o passo seguinte].


12.11.15

Como emagrecer um cão obeso

Um dos erros mais comuns de quem tem cães é o facto de olharem para eles quase como pessoas no que diz respeito à alimentação. Dar os restos do almoço ou do jantar e permitir que consumam vários tipos de alimentos (nomeadamente com sal e açúcar), são alguns hábitos que, a longo prazo, podem prejudicar a saúde dos animais. Os cães não são humanos, logo o seu organismo não está preparado para assimilar o mesmo tipo de alimentação que nós.

O principal problema é que muitas vezes os donos têm pena dos animais. Quantas vezes ouvimos a célebre frase do "coitadinho, é só um bocadinho...". E bocadinho a bocadinho vamos cedendo demasiadas vezes, acabando por lhes dar alimentos proibidos, tanto por desconhecimento como por distracção [farei uma lista destes alimentos num outro post].

Mas como em tudo, é uma questão de hábito. A minha cadela mais velha, uma miss simpatia, sempre deu nas vistas na rua por ser a típica gordinha divertida, versão cão. A dona do café e as vizinhas, por exemplo, achavam-lhe graça e davam frequentemente "só um bocadinho" de qualquer coisa: uma língua de veado, um bocado de pão, uma pontinha de fiambre... Havia sempre um brinde para dar à gordinha que, no geral, sempre foi bastante comodista mas que se bamboleava a grande velocidade quando percebia que havia comida.


Resultado: uma Basset Hound que chegou a pesar 33 Kg!
Acontece que esta cadela foi adoptada com cerca de 4 anos e o facto dela já ter vindo redondinha não ajudou a compreender que estava acima da escala. Também tinha sido esterilizada, pelo que o excesso de peso sempre foi muito associado a esse facto. Ou seja, havia demasiadas desculpas para ela ser assim.

Apesar de não sermos uns donos como aqueles que descrevi no primeiro parágrafo, de vez em quando davamos uma pontinha do pão ou um pedaço de bolacha... Coisas aparentemente inofensivas mas que não o eram.
Entretanto já tínhamos aderido a rações menos calóricas, incluindo as light ou sénior, e reduzido a porção diária mas ainda assim não tinha sido suficiente. Até que uma ida ao veterinário em Setembro do ano passado nos abriu definitivamente os olhos: a nossa Basset estava com 12 anos e 30,500 Kg. Nesse dia, pela primeira vez, tivemos de chamar as coisas pelos nomes: a gordinha estava obesa! Ou começava a fazer uma dieta rigorosa, ou os problemas de saúde - nomeadamente de coluna - iriam surgir em breve, já que tinha sido um milagre não terem aparecido entretanto.
Perante este cenário, não foi difícil tomar uma decisão: a partir daquele momento acabavam-se TODOS os extras. Por recomendação da veterinária, tinha de passar a andar mais e a única ração permitida era a Purina OM (Obesity Management), bastante cara - cerca de 88€ o saco de 14 Kg - mas com um valor mais simpático no site da Tiendanimal (à volta de 63€). O único brinde permitido seria apenas um ou outro biscoito para cão esporadicamente.
As vizinhas, habituadas a dar sempre qualquer coisa quando a viam, não aceitaram à primeira estas proibições. Mas com o tempo, e depois de termos explicado o mal que aquilo lhe estava a fazer, tudo foi ao seu lugar.

Decorrido pouco mais de um ano do início da dieta, e agora com 13 anos, a nossa gordinha (sim, já não está obesa) conseguiu perder mais de 5 Kg. Pode parecer pouco mas era o equivalente a andar com um garrafão de água às costas! Tudo a seu tempo, que a idade já não facilita estes processos, mas aos poucos vamos continuando o bom trabalho.

Foto tirada em Setembro de 2015

A única forma de conseguirmos ajudar os nossos amigos de 4 patas é interiorizarmos que, para serem felizes, não precisam de muitos extras nem tão pouco da nossa comida e dos nossos temperos. Porque fazer parte da família não significa comer aquilo que nós comemos, mas sim dar-lhes todas as condições e honrar os compromissos inerentes a ter um cão.

11.11.15

Demolhar - sim ou não?

Demolhar alimentos é uma prática que nos é familiar, uma vez que as gerações anteriores à nossa já o faziam, mas na hora de preparar bebidas vegetais e pratos com frutos secos, leguminosas ou outras sementes, surgem as dúvidas: "Devemos demolhar? Porquê? E a água onde demolhamos, deve ser aproveitada?".
Na internet existe muita informação mas nem sempre com uma linguagem acessível. De forma a responder às dúvidas mais frequentes, sintetizei neste post todas as respostas.



Demolhar, sim ou não?
Sim, devemos demolhar sempre os alimentos como leguminosas secas, oleaginosas e cereais integrais.
Alguns exemplos: ervilhas, favas, feijão, grão, lentilhas, amêndoas, avelãs, aveia, arroz integral.


Porque devemos demolhar?
Nada na natureza acontece por acaso. Todas as sementes contêm defesas que as protegem das adversidades, seja sob a forma de casca rija, fitatos, ou antinutrientes (os dois últimos são substâncias que impedem que o nosso corpo assimile importantes nutrientes como o ferro, zinco, cálcio e outros sais minerais). Estas substâncias são libertadas pelos alimentos apenas quando estes começam a "crescer".
Por esse motivo, devemos preparar as sementes antes de as consumirmos, seja a crú ou cozinhadas. O processo é muito simples: demolhar em água filtrada de forma a "despertar" as sementes [processo de germinação], levando-as a libertar as tais substâncias indesejáveis ao nosso organismo. Desta forma, tiramos maior proveito das suas propriedades uma vez que assimilamos mais facilmente as proteínas, os minerais e as vitaminas.


Algumas vantagens de demolhar:
- Eliminar substâncias indesejáveis ao nosso organismo
- Melhorar a absorção de proteínas, minerais e vitaminas
- Melhor digestão dos alimentos
- Processo de cozedura mais rápido
- Diminuição de problemas digestivos
- Melhora o sabor dos alimentos


Como demolhar?
Coloque os alimentos num recipiente de vidro ou de cerâmica com o dobro da água.
Por exemplo: para uma chávena de arroz integral, coloque duas de água filtrada.

Como benefício adicional, poderá juntar na água das leguminosas uma tira de alga kombu ou uma rodela de gengibre fresco sem casca, pois apesar de serem excelentes fontes de proteínas e minerais, as leguminosas podem provocar uma fermentação que conduz aos gases intestinais. Tanto a alga kombu como o gengibre devem ser cozinhados juntamente com a leguminosa uma vez que auxiliam no processo digestivo.
Em alternativa, adicione à água uma substância ácida, como vinagre ou sumo de limão, pois aumenta a eficácia na altura de neutralizar o ácido fítico, proveniente dos fitatos.


Durante quanto tempo devo demolhar?
Todas as sementes têm o seu tempo de germinação que varia habitualmente entre 12 a 24 horas. Na dúvida, deixe de molho de um dia para o outro.


A água em que demolhamos deve ser aproveitada?
Não. A água deverá ser deitada fora, uma vez que contém toxinas, e as sementes novamente lavadas com água limpa.


E para pulverizar os grãos, também devo demolhar previamente?
Sim. Neste caso devemos demolhar os frutos secos e as sementes durante noite e colocá-los no forno no dia seguinte na temperatura mais baixa (ou no desidrator, se tiver) até ficarem novamente crocantes e tostados. Apenas quando se encontram completamente secos é que estão prontos para pulverizar.



AGRADECIMENTO:
À Isabel, com quem ainda tenho tanto para aprender!


9.11.15

Rolo de tofu com broa [sem receita]


Experimentei o rolo de tofu com broa pela primeira vez neste workshop de vegetariano e decidi reproduzi-lo em casa, adaptando-o à Bimby.
Por enquanto, não vou partilhar a receita convosco pois é da autoria da Isabel e está incluída nos workshops que realiza com a Catarina Beato. Posso sim recomendar que fiquem atentos à página Dias de uma Princesa onde serão divulgadas as próximas datas. Inscrevam-se e participem para terem acesso a esta e outras receitas fantásticas!


Adianto que haverá um workshop especial de Natal no dia 19 de Dezembro. Para mais informações poderão enviar um email para papasreal@gmail.com.

Índice de Receitas - Revista Bimby nº 60 (11/2015)


ENTRADAS

• Bolachas salgadas de aveia
• Cogumelos recheados
• Folhados com creme de queijo de Azeitão e redução de moscatel
• Gressinos de alecrim

SOPAS

• Caldo de bacalhau e brócolos
• Creme de bróculos e queijo cheddar
• Creme de proteína de ervilha com sementes de cânhamo
• Creme de abóbora
• Sopa de noodles

PRATOS DE PEIXE

• Mexilhões com bloody Mary
• Mexilhões com caril verde
• Mexilhões com cerveja e mostarda
• Caril thai de tamboril

PRATOS DE CARNE

• Bifinhos de frango recheados com queijo e espinafres
• Carbonara com couve
• Empadas de vitela e cerveja preta
• Hambúrgueres de batata recheados com queijo e fiambre
• Mole de frango

PRATOS VEGETARIANOS

• Abóbora com risoto

OUTROS

• Creme de couve-flor, curgete e ervilhas e truta em presunto
• Essência de baunilha

BOLOS E SOBREMESAS

• Árvores de bolachas
• Broinhas de castanha
• Calendário do Advento
• Crème brulée com coco e lima
• Marshmallows de chocolate
• Panquecas e waffles em frasco
• Taça de caramelo, café e chocolate
• Tarte de abóbora e leite condensado
• Trufas de noz e café

BEBIDAS

• Sangria picante de ananás e morango

CRUDIVORISMO E COSMÉTICA

• Smoothie verde na tigela
• Sopa miso com cogumelos frescos e algas
• Tarteletes cremosas de cacau e avelã
• Soft cookies de caju e laranja

• Hidratante em barra
• Máscara facial de spirulina e arroz

SEM GLÚTEN

• Piza com base de couve-flor
• Trufas

5.11.15

Empadão de bacalhau com dois purés

Este empadão é muito agradável não só pelo sabor mas também a nível visual. Os dois purés - de ervilhas e de cenoura - dão muita cor a este prato tornando-o numa excelente forma de dar legumes aos mais pequenos.


EMPADÃO DE BACALHAU COM DOIS PURÉS
[Rende 4 doses]


Ingredientes:
- 800g água
- 800g batata
- 200g cenoura
- 200g ervilhas descongeladas
- 160g leite
- 1 1/2 colher de chá de sal
- Pimenta q.b.
- Noz-moscada q.b.
- 60g manteiga
- 20g azeite
- 2 dentes de alho
- 150g cebola
- 250g a 300g bacalhau demolhado e desfiado
- 1 gema de ovo

Preparação:
1. Coloque no copo a água e o cesto com a batata. Coloque a Varoma com a cenoura e o tabuleiro da Varoma com as ervilhas e coza 40 min/ Varoma/ vel. 1. Retire e reserve.


2. Pré-aqueça o forno a 200º
3. Passe o copo por água. Coloque metade da batata cozida, as ervilhas, 80g leite 1/2 colher de chá de sal, a pimenta e a noz moscada e programe 2 min/ 90º/ vel. 2
4. Adicione 30g de manteiga e triture 40 seg/ vel. 4. Retire para um pyrex.


5. Coloque no copo a restante batata cozida, a cenoura, 80g leite 1/2 colher de chá de sal, a pimenta e a noz moscada e programe 2 min/ 90º/ vel. 2
6. Adicione 30g de manteiga e triture 40 seg/ vel. 4. Retire e reserve.


7. Passe o copo por água. Coloque o azeite, os dentes de alho e a cebola, pique 5 seg/ vel. 5 e refogue 5 min/ Varoma/ vel. 1 [TM5: 5 min/ 120º/ vel. 1]
8. Adicione o bacalhau, 1/2 colher de chá de sal e a pimenta e salteie 7 min/ 100º/ colher inversa/ vel. colher.
9. Coloque o bacalhau por cima do puré de ervilhas previamente reservado no pyrex e finalize com uma camada do puré de cenoura.
10. Pincele uma gema de ovo por cima do puré de cenoura e com um garfo decore a gosto.
11. Leve ao forno previamente aquecido cerca de 20 minutos ou até dourar. Sirva de seguida.


NOTAS DA FORMIGA:
- Poderá adaptar as receitas dos purés com outros legumes a gosto.
- Adaptação a vegetarianos: substituir o bacalhau por tofu.
- Esta receita foi adaptada do livro da Bimby 30•Trinta•30 [empadão de salmão com purés de ervilhas e de cenoura].

4.11.15

Pão de abóbora

Este pão foi uma agradável surpresa. De textura e sabor semelhante ao pão de leite, é uma pequena perdição acabado de sair do forno. Uma só receita rendeu dois pães grandes (fiz um e congelei o outro) e no dia seguinte a ter cozido o primeiro pão, ainda experimentei fazer umas torradas com o que sobrou. Ficaram óptimas! Para a próxima vou experimentar fazer em formato de pães de leite.

Esta receita já foi publicada duas vezes: na revista Bimby nº 34 (Setembro de 2013) e no livro das 150 melhores receitas de 2013.


PÃO DE ABÓBORA
(Rende dois pães iguais ao da imagem ou apenas um mais comprido)


Ingredientes:
- 90g água
- 400g abóbora, cortada em pedaços
- 75g leite
- 25g fermento de padeiro fresco
- 1 ovo
- 40g manteiga à temperatura ambiente
- 60g açúcar - utilizei amarelo
- 1/2 colher de chá de gengibre em pó (opcional) - não utilizei
- 1/2 colher de chá de cardamomo em pó (opcional) - não utilizei
- 550g farinha tipo 65, mais q.b. para polvilhar
- 1 colher de chá de sal
- 1 gema de ovo para pincelar

Preparação:
1. Coloque no copo 40g de água e a abóbora e coza 15 min/ 100º/ vel. 1
2. De seguida triture 10 seg/ vel. 7. Retire e reserve.
3. Coloque no copo 50g água, o leite e o fermento e aqueça 1 min/ 37º/ vel. 1
4. Adicione 150g do puré de abóbora reservado, o ovo, a manteiga, o açúcar, o gengibre e o cardamomo (opcionais) e misture 15 seg/ vel. 5
5. Adicione a farinha e o sal e amasse 1 min 30 seg/ vel. espiga, envolvendo com a espátula através do bocal da tampa. Retire e deixe levedar num local morno cerca de 50 minutos ou até a massa dobrar de volume.
6. Pré-aqueça o forno a 180º. Forre um tabuleiro de forno com papel vegetal e polvilhe com farinha. Reserve.
7. Coloque a massa sobre uma superfície polvilhada com farinha, forme um rolo com cerca de 10 cm de diâmetro e com a ajuda de uma tesoura dê golpes na diagonal a todo o comprimento do rolo com cerca de 3 cm de distância entre eles (foto 1). À medida que corta coloque alternadamente uma porção para a esquerda e outra para a direita (foto 2) formando uma espiga (foto 3). 


Deixe levedar cerca de 30 minutos ou até dobrar de volume. Pincele com a gema e leve ao forno a 180º cerca de 30 minutos ou até dourar. 


Retire, deixe arrefecer sobre uma rede e sirva morno ou frio com manteiga ou doce.


DICAS:
- Se utilizar farinha tipo 55 adicione mais 30g.
- Pode substituir o fermento de padeiro fresco por cerca de 7g de fermento de padeiro seco.
- Utilize o restante puré de abóbora para uma sopa, um bolo, uma compota ou um acompanhamento.

3.11.15

Ovos com molho aurora

OVOS COM MOLHO AURORA
(Receita da revista Bimby nº 53 - 05/2015)


Ingredientes:
- 80g queijo gruyère
- 400g água
- 2 1/2 colheres de chá de sal
- 8 ovos
- 110g manteiga
- 600g cebola cortada em lâminas (eu piquei a cebola)
- 20g concentrado de tomate
- 50g vinho branco
- 600g leite
- 60g farinha
- 1 pitada de pimenta
- 1 pitada de noz-moscada

Preparação:
1. Coloque no copo o queijo e rale 5 seg/ vel. 10. Retire e reserve.
2. Coloque a água, 1 colher de chá de sal e o cesto com os ovos e coza 14 min/ Varoma/ vel. 1. Escorra os ovos, descasque, corte em metades e reserve.
3. No copo limpo coloque a cebola (se não quiser laminá-la previamente, poderá picar 3 a 5 seg/ vel. 5), 80g manteiga, 1/2 colher de chá de sal e cozinhe 8 min/ Varoma/ colher inversa/ vel. colher [TM5: 8 min/ 120º/ colher inversa/ vel. colher].
4. Adicione o concentrado de tomate e o vinho branco e cozinhe 5 min/ Varoma/ colher inversa/ vel. colher [TM5: 5 min/ 120º/ colher inversa/ vel. colher]. Deite num pyrex e reserve.
5. Pré-aqueça o forno a 200ºC
6. Coloque no copo o leite, a farinha, 30g manteiga, 1 colher de chá de sal, a pimenta e a noz-moscada e cozinhe 8 min/ 90º/ vel. 4
7. Adicione 40g do queijo ralado e envolva 5 seg/ vel. 4. Deite sobre a cebolada, envolva com a ajuda da espátula e disponha os ovos. Polvilhe com o restante queijo ralado e leve ao forno cerca de 25 minutos ou até dourar.

Sirva com arroz branco.

2.11.15

Focaccia de chouriço e azeitonas

Existem inúmeras versões de focaccia, umas mais simples apenas com azeite e alecrim, outras mais elaboradas, mas independentemente dos ingredientes escolhidos é sempre uma boa sugestão para entradas, festas ou para surpreender num jantar de amigos.
Costumo fazer esta com chouriço e azeitonas e fica sempre bem. Também pode ser servida fria mas aqui em casa somos adeptos da focaccia quentinha.


FOCACCIA DE CHOURIÇO E AZEITONAS
(Receita do livro "7 dias com a Bimby)


Ingredientes:
- 240g água
- 15g azeite, mais q.b. para untar
- 20g fermento de padeiro fresco
- 400g farinha tipo 65
- 1/2 colher de chá de sal grosso, mais q.b. para polvilhar
- 100g chouriço (fiz com linguiça)
- 100g azeitonas pretas sem caroço
- 1 colher de sopa de orégãos

Preparação:
1. Coloque no copo a água, o azeite e o fermento e aqueça 1min 30seg/ 37º/ vel. 2
2. Adicione a farinha e o sal e amasse 2 min/ vel. espiga. Retire, molde uma bola, coloque num tabuleiro untado abundantemente com azeite e deixe levedar num local morno cerca de 30 minutos ou até a massa dobrar de volume.
3. Pré-aqueça o forno a 200º
4. Coloque no copo o chouriço e pique 4 seg/ vel. 7. Com as mãos untadas com azeite espalhe a massa pelo tabuleiro fazendo pressão com os dedos. Distribua o chouriço e as azeitonas sobre a massa. Polvilhe com o sal e os orégãos e regue com um fio de azeite. Deixe levedar cerca de 15 minutos e de seguida leve ao forno cerca de 20 minutos.


Sirva quente ou fria cortada em quadrados.

1.11.15

Flan de chocolate

Domingo de chuva, excelente momento para experimentar novas receitas especialmente daquelas que deixam um aroma a chocolate pela casa.
Para hoje escolhi uma receita do livro base da Bimby TM31: pudim flan de chocolate feito na varoma. Dificuldade: zero. Óptima sugestão para quem tem crianças pois para além de ser uma sobremesa muito apreciada pelos mais pequenos, durante 30 minutos a Bimby deixa-vos livres para outras tarefas.


FLAN DE CHOCOLATE
(Rende 6 doses)


Ingredientes:
- 60g chocolate (tablete ou em pó)
- 300g leite
- 60g açúcar
- 2 colheres de chá de açúcar baunilhado
- 3 ovos
- 700g água

Preparação:
1. Pulverize o açúcar 15 seg/ vel. 9. Retire para um recipiente e misture com o açúcar baunilhado. Reserve.
2. Coloque no copo o chocolate e, caso utilize tablete, pulverize 15 seg/ vel. 9 
3. Junte o leite e programe 4 min/ 90º/ vel. 2
4. Adicione os açúcares reservados e com a Bimby em funcionamento na vel. 3 junte os ovos pelo bocal da tampa
5. Distribua a mistura por 6 formas pequenas ligeiramente untadas, tape com papel de alumínio e coloque-as na Varoma.




6. Coloque no copo a água e a Varoma por cima da tampa e programe 30 min/ Varoma/ vel. 1

Deixe arrefecer os pudins antes de servir.