12.6.17

O encantador de pássaros [ou a história mais bonita de sempre]

Esta é uma daquelas histórias que parecem saídas de um filme e, não fosse ter-se passado na minha presença, era capaz de questionar a sua veracidade.
Ontem, ao final da tarde, o homem da minha vida estava distraidamente no terraço de nossa casa, acompanhado da sua guitarra Martin. Como muitas outras vezes, tocava sozinho e para si, descontraindo depois de um dia de trabalho. Mas pela primeira vez, algo de inédito aconteceu... Do último andar do nosso prédio, a sua música chamou até si o mais atento espectador de sempre: um Agapornis Roseicollis.


Durante mais de uma hora, este pássaro escutou atentamente da cobertura do prédio, emitindo alguns sons como que a participar neste improvisado serão musical.
Ao assistir à interacção entre aqueles dois, apercebi-me de que o pássaro estava com vontade de se aproximar. Passado tanto tempo, ainda não tinha ido embora e já havíamos feito vários tipos de barulhos e de movimentos sem que ele se assustasse. Disse ao J. que experimentasse ir até ele com uma luva calçada, não fosse o pequeno Agapornis ficar assustado e dar-lhe uma valente bicada. Até porque a nossa intenção não era apanhá-lo mas sim perceber se ele realmente queria vir ter connosco.


Andou ali numa grande dança, deixando que lhe tocássemos, e dando pequenas bicadas que mais pareciam beijinhos. Percebemos que não era agressivo mas continuávamos a não querer forçá-lo. Nessa altura eu comentei que se ele descesse de livre vontade até nossa casa, nós tomaríamos conta dele.
E eis que, ao pôr do sol, se dá o momento mais extraordinário... Ele voou para uma cadeira no nosso terraço e nessa altura o J. aproximou-se dele, esticou o braço e o pássaro saltou para a sua mão, como que numa espécie de entrega.


O mais inesperado? Assim que entrou em nossa casa, saltou para o seu ombro, qual capitão com o seu papagaio!


Foi um momento maravilhoso, daqueles que nos aquecem o coração e a alma e que nos relembram o porquê de gostarmos tanto de animais.
Descobrimos que ele é muito meigo e que adora música e pessoas. Também eu já tive a felicidade de ser adoptada por ele [embora ele só venha quando quer e não quando nós o chamamos].


Este foi um daqueles estranhos e felizes casos em que um animal escolhe o seu dono da forma mais inusitada. Foi baptizado de "Martin" em homenagem à guitarra que o chamou até nós.
Confesso que ainda estamos a digerir esta ideia de termos um pássaro em casa... Não tínhamos nenhum, nem estava nos nossos planos, pelo que fomos a correr comprar comida e uma gaiola. Assim que o colocámos na sua nova casinha, comeu e bebeu durante muito tempo. Também já percebemos que quando aproximamos a mão, ele inclina a cabeça para receber festas.

Entretanto, assim que isto aconteceu, desafiei um familiar de extrema confiança a ficar com ele, uma vez que já tem um da mesma espécie e que o trata como família. Até porque os nossos dois cães não ficaram radiantes com a ideia e por enquanto ainda olham para ele como uma espécie de iguaria... Mas para já, o Martin está connosco e pelo menos uma vez por dia sairá da sua gaiola [bem longe dos 4 patas, claro está]!


9.6.17

Favoritos da Formiga - Prozis

Hoje partilho convosco uma das minhas lojas online preferidas: a Prozis. Quem não tem o hábito de visitar este site, poderá associar apenas a suplementos e nutrição desportiva. A verdade é que é muito mais do que isso... Aqui poderão encontrar uma grande variedade de marcas e de produtos, adequados a vários regimes alimentares (vegetariano, vegan, raw, paleo, sem glúten...), com inúmeras opções biológicas. O envio é gratuito para encomendas de valor superior a 20€ e a entrega é muito rápida.

Espreitem aqui o site e, se tal como eu, utilizarem o cupão OLDSCHOOL no checkout, ainda conseguem um desconto de até 15% na vossa encomenda!

Deixo-vos algumas sugestões de produtos (se clicarem na legenda, serão remetidos para o site).
SaveSave

25.5.17

Com que frequência devemos limpar tudo o que temos em casa?

As semanas passam a correr e, no meio da confusão dos dias, é muito frequente perdermos a noção do tempo. Quantas vezes damos por nós a tentar pensar qual foi a última vez que realizámos determinada tarefa? O mais comum é já a termos feito há demasiado tempo, pensando que foi apenas há meia dúzia de dias...

Numa tentativa de me organizar com as tarefas da casa, tornando-me numa verdadeira fada do lar, fui à procura de respostas para [quase] tudo o que é preciso limpar. Cheguei à conclusão que, no meio de tanta informação, a melhor forma de não perder o rumo é saber a frequência com que devo realizar as tarefas domésticas e anotar de cada vez que as concretizar. Assim já não há desculpa para não me lembrar da última vez que as fiz.

Claro que os resultados para esta pesquisa se baseiam numa utilização diária de todas as divisões da casa. No entanto, há que ter em consideração que a frequência com que devemos realizar cada tarefa poderá variar consoante o agregado e a realidade de cada família. Um bom exemplo disso é quando há animais em casa, pois nesse caso o intervalo entre as limpezas pode ser significativamente menor.
Mesmo que tenha empregada e que esta informação não lhe interesse directamente, será sempre útil saber orientá-la nas lides da sua casa.


FREQUÊNCIA COM QUE DEVEMOS REALIZAR AS LIMPEZAS DOMÉSTICAS

Imagem retirada do Pinterest

 SALA 

• Limpar o pó - 1 vez por semana
Aspirar chão e tapetes - 1 vez por semana
• Aspirar sofás de tecido - 1 vez por mês [se tiver cães que andem no sofá, deverá aspirar semanalmente]
• Capas de almofadas do sofá - de 2 em 2 meses
• Lavar cortinas - 1 a 2 vezes por ano
Alcatifas ou tapetes grandes - Limpeza profissional a cada 6 ou 12 meses

 COZINHA 

• Bancadas - Diariamente
• Chão - 1 a 2 vezes por semana
• Frigorífico - 1 vez por mês
• Lavar fogão - Sempre que for usado
Forno - 1 vez por mês (se for usado regularmente) ou a cada 2 meses
• Microondas - Semanalmente
• Móveis (por dentro) - de 2 em 2 meses
• Móveis (por fora) - de 15 em 15 dias
Panos da loiça / mãos - Trocar todas as semanas
Tapetes - Lavar a cada 15 dias
Vidros - Mensalmente
Caixote do lixo - 1 vez por semana
Máquina de lavar loiça - Fazer uma lavagem mensal, sem loiça na máquina.
Máquina lavar roupa - Lavar os compartimentos do amaciador e do detergente sempre que estes começarem a acumular resíduos. Verificar no manual de instruções da máquina a frequência com que deverá fazer uma lavagem de manutenção do seu interior (algumas máquinas têm o programa "auto clean") e se o modelo da sua máquina tem o filtro amovível para que o possa limpar manualmente.

 QUARTO 

Roupa de cama - Trocar semanalmente [nunca passar os 15 dias]
Limpar o pó - Semanalmente
• Limpeza do chão - 1 vez por semana
Limpeza do colchão - a cada 2 meses
Tapetes - sacudir e/ou aspirar semanalmente

 WC 

Limpeza profunda - 1 vez por semana
Trocar toalhas - Todas as semanas
Lavar tapete de banho - 1 vez por semana
Armários - 1 vez por mês
Espelhos - Semanalmente

 ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO 

Escovagem - 1 vez por semana
Mantas - lavar semanalmente
Cama de tecido - Mensalmente
Comedouros [comida seca] - Semanalmente
Comedouros [comida húmida] - Diariamente
Bebedouro - 1 vez por semana

 OUTROS 

Vidros - Mensalmente
Hidratar madeiras - Mensalmente
Ar condicionado - cada 6 meses
Lareira - No final do Inverno
Teclado computador - Semanalmente [virar ao contrário para retirar as impurezas. Limpar com um desinfectante e usar um cotonete com a mesma solução para passar entre as teclas]. 


Ter uma casa limpa e arrumada, contribui para o bem de estar dos que nela habitam, previne a proliferação de bactérias e promove a conservação dos espaços. Caso não seja um(a) fã das lides da casa e não tenha empregada, o segredo é tentar fazer um pouco todos os dias de forma a não deixar acumular demasiado trabalho.
Por outro lado, se acha que tem muita "tralha" em casa da qual poderia perfeitamente abdicar, tornando a tarefa de limpar mais fácil, espreite este post para ter uma ideia de como começar a simplificar.

11.5.17

Esparguete integral com pesto de rúcula e frutos secos

Depois de algum tempo sem partilhar receitas, aqui estou eu de volta. Desta vez, com o pesto de rúcula e frutos secos que experimentei na semana passada e cuja fotografia partilhei nas redes sociais.
A receita não é minha, tirei do Mundo de Receitas Bimby, e fiz apenas uma alteração: em vez de utilizar apenas amêndoas, como na receita original, substituí por uma mistura de frutos secos. Acompanhei com esparguete integral e posso dizer-vos que rendeu bastante, uma vez que duas ou três colheres de sopa de pesto são o suficiente para cada pessoa. O que sobrar, pode sempre conservar no frigorífico para utilizar no espaço de um mês (ver notas).


PESTO DE RÚCULA E FRUTOS SECOS


Ingredientes:
- 150 g azeite
- 50 g queijo parmesão
- 1 dente de alho
- 30 g de frutos secos (utilizei uma mistura de amêndoas, nozes e avelãs)
- 80 g rúcula
- Sal q.b.

Preparação:
1. Pese o azeite e reserve.
2. No copo coloque o queijo em pedaços e rale 15 seg/ vel. 9
3. Adicione o alho, os frutos secos, a rúcula, o sal e programe 15 seg/ vel. 9
4. De seguida, com o copo de medida colocado na tampa e a Bimby em funcionamento na vel. 5, deite o azeite sobre a tampa.
5. Deve ficar um molho homogéneo, semelhante à maionese.


NOTAS:
- Deve ser conservado num frasco previamente esterilizado e com o molho coberto com azeite.
- Mantém-se fresco durante um mês no frigorífico.


DICA DA AUTORA DA RECEITA:
Sirva com esparguete ou outro tipo de massa, se desejar mais líquido acrescente 2 c. sopa de água de cozer a massa antes de servir.

25.4.17

Um desabafo e uma pergunta... O que gostariam de ver na Formiga Amiga?


Quem segue a Formiga Amiga, já deve ter reparado que o blog tem andado em banho-maria... A verdade é que, com a minha saída da Vorwerk, comecei a questionar o sentido de dedicar este blog quase por inteiro a uma marca que já não represento. No hard feelings, mas parece-me legítimo pensar desta forma... Continuo a adorar este robot de cozinha, presença diária e fundamental na minha cozinha, mas nunca escondi o meu descontentamento em relação ao resto.

Por outro lado, e para todos os efeitos, este blog sempre foi maioritariamente sobre a Bimby, o que me deixou com sérias dúvidas na hora de decidir o que fazer a seguir. A Formiga Amiga surgiu como uma forma de estar mais próxima dos meus clientes, o que acabou por chamar muitas outras pessoas que não conheço pessoalmente. Até que ponto é que faz sentido mudar o tema principal?

Decidi que o melhor mesmo era saber a vossa opinião. Chegou a hora de vos perguntar o que gostam no blog, o que posso melhorar ou que temas gostariam de ver abordados.

Quem dá uma ajuda à Formiga?

2.4.17

Rissóis de camarão do Pingo Doce - lista de ingredientes


Poderiam ser apenas uns rissóis de camarão - neste caso, do Pingo Doce - à partida, pouco saudáveis por serem fritos. Mas será mesmo esse o maior problema?

Sugiro que leiam atentamente a lista de ingredientes... Pelo meio poderão encontrar 16 E's, gorduras hidrogenadas como a de palma, dextrose, açúcar e glutamato monossódico, um intensificador de sabor altamente prejudicial à saúde, presente na composição de temperos como os caldos Knorr [e que, resumidamente, faz com que todos os pratos que levem este cubinho saibam ao mesmo].

São exemplos como este que nos devem fazer pensar seriamente na importância de ler os rótulos. Afinal, consumidores informados fazem escolhas mais conscientes.

SaveSave

24.3.17

O que acontece com o Cook-Key depois dos 6 meses gratuitos?


Esta foi a pergunta que muitos clientes (e agentes) fizeram quando adquiriram o Cook-Key: o que é que ia acontecer quando terminasse a oferta dos 6 meses de utilização gratuita do portal de receitas Cookidoo?

Na altura do lançamento do Cook-Key - ainda eu trabalhava na Bimby - questionámos quem de direito. Informaram-nos que, quando terminassem os 6 meses, os clientes não iriam conseguir aceder às receitas do portal (excepto às que já eram suas anteriormente) nem às que tinham guardado no Cook-Key, mesmo que não o sincronizassem através de wi-fi com o portal.

"Como é que isso é possível?", perguntávamos nós... Como é que a Vorwerk ia conseguir controlar o que estava na memória do Cook-Key (que no fundo, funciona como uma espécie de pen) se este não voltasse a ser sincronizado com o portal?
As respostas não convenceram por isso resignei-me ao facto de que só iria descobrir quando terminasse o meu período experimental, o que aconteceu no passado dia 6 de Março.


Tal como eu previa, continuo a conseguir utilizar as receitas que guardei no Cook-Key. Ainda não o voltei a sincronizar, pois aí sim, irei perder o acesso ao que guardei até que volte a pagar a anuidade.

Já no portal, as receitas que eu adicionei às minhas listas e que não fazem parte da minha biblioteca, passaram a aparecer com um tom esbatido e já não consigo ter acesso às mesmas.



A ANUIDADE COMPENSA?

A minha opinião é de que sim, compensa, mas só se for realmente para tirar partido desta ferramenta. É verdade que são 36€ anuais (ou 3€ por mês) mas, no meu caso, deixei de comprar a revista mensal que custa agora 2,90€ e por mais 0,10€/mês passo a ter acesso a milhares de receitas nacionais e internacionais. O portal do Cookidoo existe em vários países, como Espanha, França ou Itália, e podemos aceder a todos eles - que têm receitas diferentes das nossas - desde que o nosso plano esteja activo.

No que diz respeito ao Cook-Key, claro que se eu não o sincronizar com o portal, continuo a poder utilizar as receitas que lá estão mas qual é o sentido de ter um acessório de 99€ (129€ a partir de 01 de Abril) e não poder tirar partido a 100%?

Para terminar, e ainda sobre as revistas, descobri que a Vorwerk passou a disponibilizá-las igualmente no portal mas, para quem não tem o plano do Cookidoo activo, caso pretenda adquirir uma revista em formato digital, terá de pagar a módica quantia de 8,99€ (??)
Também não era preciso exagerar...


SaveSave
SaveSave

21.2.17

Mint Beach Movement

Keep (Y)OUR Beach in Mint Conditions


Ontem nasceu o Mint Beach Movement, um movimento que pretende sensibilizar adultos e crianças para a importância da limpeza das praias, evitando a poluição dos oceanos. Esta iniciativa é-me especialmente querida por vários motivos: pelo seu carácter ecológico [e tão urgente], por ser uma das fundadoras e por ter desenhado a sua imagem.

A ideia surgiu através da Old School Surf School que, pela sua actividade, está permanentemente em contacto com a praia e com o oceano. No fundo, é uma forma de aumentar o grau de compromisso para com a natureza, retribuindo com este gesto o tanto que ela nos dá.
A poluição das praias e dos oceanos não nos tem passado despercebida e é um assunto que nos preocupa e no qual decidimos envolver-nos ainda mais.

Estão todos convidados a participar. A ideia é dispensarem um ou dois minutos sempre que forem à praia, aproveitando esse tempo para apanhar lixo - nomeadamente plástico - fotografando em seguida aquilo que conseguirem recolher.
O Mint Beach está no facebook e no instagram. Tudo o que têm de fazer é partilhar a(s) fotografia(s), identificando a conta ou a página e usando a hashtag #mintbeachmovement.

Este é um problema que diz respeito a todos. E todos juntos, somos muitos!





17.2.17

Pequeno-almoço com a Formiga Amiga

Mais um catering da Formiga, desta vez em formato de pequeno-almoço. E porque esta é a refeição mais importante do dia, não quisemos que faltasse nada... Pão de alfarroba, croissants folhados, chás biológicos, limonada caseira ou espetadas de fruta, foram algumas das iguarias que preparámos para esta reunião de empresários.

Nos preparativos...

Espetadas de fruta e parfaits de iogurte grego com frutos vermelhos e Granola Lola

Os chás biológicos da Maria Granel, presença indispensável nos caterings da Formiga

Pão de alfarroba e croissants folhados


Informações ou pedidos de orçamento:

10.2.17

E o melhor local para levedar massas é......


... uma boleira!
[ou uma caixa para transportar bolos]


Surpreendidos com a revelação? Confesso que eu também fiquei!
Como tive oportunidade de referir em posts anteriores, a minha demanda pelas massas perfeitas já dura há uns anos e, entre tentativas e erros, lá surgem aqueles momentos de "inspiração divina" que nos mostram as soluções mais simples para os problemas mais comuns.

Apesar de ter sido uma descoberta surpreendente - mais ainda por se tratar de um "mono" que eu tinha na cozinha e que usava duas vezes por ano - a sua eficácia faz todo o sentido, e foi justamente por uma questão de lógica que me lembrei desta possibilidade. A boleira bem fechada funciona como uma espécie de estufa que mantém a humidade da massa ao mesmo tempo que não deixa entrar ar; ou seja, este acessório reúne todas as condições para uma massa levedar bem.

Quem faz massas em casa, sabe que a sua levedação é um aspecto importantíssimo que determina o sucesso ou o fracasso do resultado, seja de um pão ou de uma pizza. Até à data em que fiz esta descoberta, a forma como eu levedava massas era colocá-las dentro do forno desligado tapadas com película aderente. O problema é que quando a massa crescia, muitas vezes colava à película, facto que eu contrariava colocando copos altos no tabuleiro do forno [para fazer altura] antes de o envolver em película. Tudo isto acabava por tornar o processo pouco prático... Envolvia mais loiça suja, sem contar que o forno ficava ocupado, impossibilitando a sua utilização durante este período.

A boleira que utilizo para levedar massas é de plástico e de um tamanho grande - tem cerca de 20cm de altura; se tiverem uma muito baixa, é provável que não seja tão eficaz. Muito importante: não se esqueçam que as massas demoram mais tempo a levedar no Inverno. De qualquer forma, façam a experiência em casa e depois digam como correu!

9.2.17

Quando falta a inspiração...


Não há nada menos inspirador do que a descrença naquilo que nos rodeia. As palavras não fluem, o raciocínio bloqueia e os dias vão passando numa espécie de automatismo em que me limito a fazer as tarefas sem grande vontade de pensar. A fase é de mudança, o caminho a seguir ainda está meio nublado mas a vontade de fazer algo novo permanece. Aproveito estes momentos de introspecção para ler o mais possível e mantenho a serenidade porque a fase é passageira.

Considero-me uma pessoa de trato fácil que aprecia as coisas simples da vida; no entanto, há situações com as quais não lido bem... Sempre detestei injustiças, não suporto a hipocrisia e a falsidade e acredito que o mundo seria um sítio infinitamente melhor se as relações humanas assentassem em convicções e não em conveniência ou interesses.
O respeito, a humildade, a gentileza ou a bondade, são valores que por vezes escasseiam e aos quais deveríamos dedicar mais do nosso tempo. Praticar o bem porque esse é o caminho certo [e não apenas com medo das sanções] e aconselharmo-nos mais vezes com a nossa consciência, assegurando boas noites de sono de cada vez que deitamos a cabeça na almofada.

Definitivamente, mantenho a fé de que o mundo pode ser um sítio bom... Basta, para isso, que cada um de nós faça a sua parte.

5.2.17

Índice de receitas - Revista Bimby nº 75 (02/2017)


• Almôndegas de porco
• Almôndegas de puré e carne
• Bolo de arroz
• Brioche de especiarias
• Canelones de salmão
• Canja com limão
• Chutney de citrinos
• Coxas de frango recheadas com alheira
• Creme de beterraba com gengibre
• Enrolados de espargos
• Fofo de peixe
• Frango recheado com arroz de cogumelos
• Gelado mascarado
• Gougères
• Lombo de salmão em pão preto
• Menu para 2 – Creme de cenoura e caril
& Lagostins com arroz aromatizado
• Miniclafoutis de framboesa
• Moqueca de salmão
• Mousse de cacau
• Pãezinhos de colher com leite condensado
• Pão de banana
• Pasta de ervilhas e coentros
• Pastéis de ricota
• Pataniscas de feijão-frade com puré de nabo e batata-doce Penne com molho de tomate seco e espinafres
• Piza de salmão fumado e agrião
• Quadrados de tangerina
• Queques de aveia e mirtilos
• Risoto à portuguesa
• Risoto de cevadinha com nabiças e espargos
• Risoto de quinoa e cogumelos
• Rolo de peru recheado
• Salada morna de couve-roxa
• Salmão à portuguesa
• Sopa 2 feijões
• Tornedós ngidos
• Vincotto

30.1.17

Como saber se um ananás ou um abacaxi estão no ponto?

Imagem retirada do Pinterest


Aqui está uma dica que eu desconhecia... Segundo dizem os entendidos, a melhor forma de ver se um ananás ou um abacaxi estão no ponto é puxar uma das folhas do interior da "coroa". Se soltar com facilidade é porque está no ponto, se oferecer resistência é sinal que ainda não está maduro.

Vivendo e aprendendo!

28.1.17

Um catering para 150 a 200 pessoas [ou o maior desafio de sempre da Formiga Amiga]

Sair da zona de conforto tem tanto de desafiante como de assustador, e sem dúvida que é nestas ocasiões que testamos os nossos limites e as nossas capacidades.
Quem me segue nas redes sociais, sabe que tenho um grande interesse pela culinária, sendo esta uma actividade que tenho vindo a desenvolver em ambientes mais familiares. Quinta-feira foi o dia em que me atirei para fora de pé, sendo responsável pelo catering para a inauguração do novo espaço da Full Fill, e para a qual contavam com o modesto número de 150 a 200 convidados!


Confrontada com o desafio de fazer um catering para tanta gente, a minha reacção inicial foi não me aventurar. Para além de ser da opinião que devemos deixar certos assuntos para quem tem experiência, tinha plena consciência da responsabilidade e do que estava em causa. No entanto, os clientes em questão não aceitaram o meu "não" tendo conseguido a proeza de transformá-lo num "sim". Devo confessar que fiquei tão entusiasmada como assustada e nos dias seguintes surgiram muitos medos... Medo do desconhecido, medo de não ser capaz, medo de alguma coisa falhar, por isso fiz a pergunta que faço muitas vezes: "se eu não tivesse medo, o que é que fazia?". Neste caso, aproveitava a oportunidade e tentava aprender e crescer com a experiência. E foi o que fiz.

Infelizmente, não tive tempo para fotografar nada, tendo conseguido apenas disparar o telemóvel no meio da correria, duas vezes e em segundos.

Parfaits de iogurte grego com frutos vermelhos e granola lola


Para terminar, só posso agradecer a todos os que contribuíram para o sucesso desta experiência, que teve tanto de enriquecedora como de esgotante! Ao Luís e à Susete pelo desafio, à Isaura por me ter recomendado, ao João Pedro [meu braço direito], à Maria Granel pelos maravilhosos chás que disponibilizou para o evento e por serem sempre tão atenciosas comigo, e a todas as pessoas que vieram ter connosco para elogiar o nosso catering.

Muito obrigada!

19.1.17

5 anos de Bimby - a despedida


Em 2012 descobri a Bimby, ao mesmo tempo que fui trabalhar para a Vorwerk. Fiquei de imediato fascinada com este robot de cozinha e, cinco anos depois, continuo a ser uma das maiores fãs.
Ao longo deste período aprendi muito, cresci a nível pessoal e profissional, descobri uma grande paixão pela culinária, fiz várias formações incluindo para líder de equipa [caminho que, por opção, decidi não seguir] e presenciei diferentes tipos de abordagens nas vendas. Compreendi, mais do que nunca, que o bom vendedor não é aquele que vende muito; é antes a pessoa que apenas vende quando e onde faz sentido e que está disponível para acompanhar o cliente posteriormente à sua aquisição. 

No meu percurso, conheci também várias pessoas que compraram a Bimby e cuja agente havia desaparecido imediatamente após a venda, clientes esses que "adoptei" [como dizemos carinhosamente na Vorwerk] e que passei a ajudar sempre que precisavam.
Em 2015 criei a Formiga Amiga com o intuito de estar ainda mais próxima, de partilhar receitas e dicas, e para que os meus clientes soubessem que tinham na minha página e no meu blog mais uma forma de se inspirarem e de estarem em contacto comigo. Olhando para trás, sinto o coração cheio por tantas pessoas boas que conheci e por tudo o que esta actividade me proporcionou.

Fico ainda mais feliz por saber que pertenço àquele grupo de pessoas que se esforça por fazer as coisas bem feitas e acredito, com todas as forças, que não há nada que pague o simples facto de deitarmos a cabeça na almofada e conseguirmos dormir descansados. 
No entanto, como em todos os locais, há os que se esforçam por trabalhar bem e de acordo com as normas da empresa e os que fazem questão de contornar as regras. Poderia ignorar o facto de haver agentes com outro tipo de valores [coisa que fiz noutras ocasiões, em nome do bom ambiente] mas o grande problema reside no facto dos que trabalham mal prejudicarem, e muito, quem tenta trabalhar de forma honesta.

Pensei muito antes de escrever este post, mas considero importante que os meus clientes saibam o porquê da minha saída, decisão esta tomada de forma muito consciente e ainda em 2016.

No ano passado, tive conhecimento de vendedoras que, alegadamente, faziam retomas de Bimbys TM31, tendo perdido várias vendas para essas pessoas. 
Problema: a Vorwerk não faz [nem nunca fez] retomas, logo o que estas agentes fazem é completamente desonesto. Compram as Bimbys antigas dos clientes por um valor baixo, dão esse valor como entrada na compra da nova Bimby e, posteriormente, vendem as máquinas mais caras em locais como o OLX. Apesar de ser proibido, começou o passa-palavra entre clientes, o que fez com que estas pessoas tivessem um grande sucesso nas vendas. Confesso que foi frustrante ouvir potenciais clientes a desistirem da compra, para irem comprar à vendedora da amiga que fazia retomas, mesmo depois de lhes explicar que isso ia contra as normas da empresa.

Para estes agentes pode até ser o "crime perfeito" mas quanto a mim tem um nome: concorrência desleal. Vários agentes honestos têm sido penalizados por este e por outros motivos, porque é impossível competir com este tipo de práticas e de ofertas.
Compreendo que para alguns clientes menos informados até possa ser aliciante... Querem muito a nova Bimby, conseguem "despachar" o modelo anterior e ainda ganham alguma coisa com isso [por pouco que seja]. Parece bom? Pensem bem... Só um copo completo custa mais de 200€, o que quer dizer que alguém que venda a sua Bimby antiga por este valor, já está a fazer um péssimo negócio. Seria mais rentável ficar com as duas Bimbys e dois copos, já para não falar que o modelo TM31 continua a ser uma excelente máquina.

Agora que têm esta informação do vosso lado, convido-vos a fazerem escolhas conscientes. Pensem se realmente gostariam de comprar o que quer que seja a um vendedor desonesto e interiorizem que sempre que compactuarem com este tipo de comportamentos, estão a prejudicar aqueles que trabalham de uma forma honesta. Além de, regra geral, ser este o tipo de vendedor que desaparece do mapa, não prestando qualquer assistência ou ajuda ao cliente.

E é por isso que o meu trabalho na Vorwerk deixou de fazer sentido... Decidi continuar a fazer apenas o que gosto através do blog, e sem a parte das vendas, já que há cerca de 1.500 agentes a fazê-lo a nível nacional.
Não queria encerrar este capítulo sem antes agradecer a todos os que me ajudaram de alguma forma, aos que me escolheram no momento em que compraram a Bimby, aos que me recomendaram aos amigos e à família, e a todas as pessoas impecáveis que conheci ao longo destes cinco anos! Não se preocupem pois estarei sempre deste lado, disponível para ajudar no que for preciso.

Até porque isto não é uma verdadeira despedida... A Formiga Amiga continua!

16.1.17

Bimby Pastas e Risotos

ÍNDICE ALFABÉTICO


C
Caldo de galinha
Caldo de galinha com tortellini de camarão
Caldo de legumes
Caldo de peixe
Cavatelli
Cavatelli com nabiças e lulas
Chapéus de bruxa
Chapéus de bruxa com curte-te e milho

E
Enrolados de espargos com ovo

L
Laçarotes com bacalhau marinado
Laços
Lasanha caprese
Lasanha de frango e tomate seco
Linguine com camarão e alcachofra
Linguine com salmão, queijo-creme e lima

M
Massa de beterraba
Massa de castanha
Massa de gemas
Massa de ovo
Massa de salsa
Massa de tinta de choco
Molho de tomate e vodka

N
Noodles
Noodles com frango e molho satay

O
Orecchiette

P
Pappardelle
Pappardelle com bacon e alho francês
Pappardelle com manjericão e azeite de alho
Penne
Penne com beringela no forno
Pesto de beterraba assada com amêndoa
Pesto de couve e avelã
Pesto de rúcula e noz

R
Ravioli
Ravioli com ovo de codorniz e molho de curgete
Ravioli com pesto de rúcula e noz
Rebuçados
Rebuçados de ricota com molho de tomate e ervilhas
Risoto à carbonara
Risoto à portuguesa
Risoto com cebola caramelizada
Risoto com feijão e couves
Risoto de alcachofra
Risoto de açafrão e mexilhão
Risoto de alho com tomate-cereja e mozarela
Risoto de bacalhau com grão
Risoto de borrego com couve-flor e pão picante
Risoto de cerveja, linguiça e cogumelos
Risoto de Champanhe com camarão e vieiras
Risoto de corvina e amêijoa
Risoto de especiarias com frango
Risoto de legumes assados
Risoto de limão e rosmaninho com ovo escalfado
Risoto de pera, noz e gorgonzola
Risoto de peru e espargos
Risoto de polvo
Risoto jamaicano
Risoto preto com chocos
Risoto verde com salmão

S
Spaghettini com mexilhão e molho arrabiata
Spaghettini cozido em vinho tinto com carne guisada
Spaghettini e Linguine

T
Tagliatelle
Tagliatelle com cogumelos e cebola
Tortellini
Tortellini de ervilhas com molho de gorgonzola
Trouxas de massa fresca com porco e vincotto

V
Vicotto

4.1.17

Índice de receitas - Revista Bimby nº 74 (01/2017)


 SOPAS 

• Caldo de frango e legumes
• Caldo de pato com noodles e nabiças
• Creme de espargos e vieiras
• Sopa de agrião com ovo cozido

 PRATOS DE PEIXE 

• Abóbora-manteiga com bacalhau e camarão
• Barrinhas de peixe
• Empadão de peixe
• Peixe e mariscos sobre massinha e caril de coco
• Quiche limpa-frigorífico do Natal
• Soufflé de atum
• Soufflé de marisco
• Tártaro de salmão
• Tigela de arroz com camarão
• Tortilha de atum no forno

 PRATOS DE CARNE 

• Arroz de vitela com legumes
• Lombo de porco recheado
• Penne com curgete e molho de coentros
• Peru com legumes
• Tigela Benedict
• Tornedós folhados com recheio de espinafres

 PRATOS VEGETARIANOS 

• Cogumelos recheados com quinoa
• Soufflé de alho-francês

 BOLOS E SOBREMESAS 

• Bolo-rei de caramelo
• Fritos aveludados de maçã
• Merengues surpresa
• Pequeno-almoço com compota de morangos e chia
• Soufflé de avelã com molho de chocolate
• Soufflé de limão
• Taça dos reis
• Tronco nevado de Natal

 PÃES 

• Pão de especiarias

 BEBIDAS 

• Margarita de toranja e romã
• Smoothie de frutos silvestres

Pão integral

Tentar juntar características como rapidez e facilidade em receitas saudáveis de pão, tem sido um dos grandes desafios no meu dia-a-dia. Os vários tipos de farinhas têm diferentes comportamentos e, não sendo uma especialista na matéria, tenho de testar cuidadosamente cada receita para me certificar que não comprometo o resultado.
Neste caso, a rapidez é apenas na preparação, uma vez que demora 50 minutos a levedar e mais 40 no forno, mas posso garantir-vos que vale a pena e não dá trabalho nenhum!

De qualquer forma, recomendo que leiam primeiro este post com várias dicas para conseguirem fazer um pão perfeito.


PÃO INTEGRAL
[duas versões da mesma receita]

Imagem 1
Pão integral com sementes por cima

Imagem 2
Pão integral com sementes no interior

Ingredientes:
- 430g água
- 20g azeite
- 2 colheres de chá de Fermipan [fermento de padeiro seco]
- 250g farinha integral de espelta [comprei na Maria Granel]
- 250g farinha de trigo integral
- 1 colher de chá de sal
- 100g de sementes variadas [sésamo, abóbora, girassol...]

Preparação:
1. Coloque as sementes num recipiente e tape com água. Reserve.
2. Coloque no copo a água, o azeite e o fermento e aqueça 2 min/ 37º/ vel. 2
3. Adicione as farinhas, o sal e as sementes previamente escorridas e misture 20 seg/ vel.6 - imagem 2 [poderá adicionar as sementes apenas no passo 5, distribuindo-as por cima da massa antes de levar ao forno - imagem 1]
4. Retire a massa para uma forma forrada com papel vegetal, tape com película aderente e deixe a levedar dentro do forno desligado durante cerca de 50 minutos.
5. No final do tempo, retire a massa e pré-aqueça o forno a 200º, colocando no seu interior um recipiente com água previamente fervida. Coza o pão durante cerca de 40 minutos, mantendo o recipiente com água no seu interior.


Retire e deixe arrefecer sobre uma rede.

3.1.17

Broa de milho

A broa de milho não é das receitas mais fáceis nem das mais rápidas de se fazer [precisará de cerca de 2h20m até ter a sua broa na mesa] mas não há dúvida que, quando vemos o resultado, todo o esforço compensa.
aqui tinha deixado uma outra versão de mini broas de milho com azeitonas mas desta vez optei pela versão tradicional, do livro "ABC da Bimby". A farinha de milho é biológica e veio da Maria Granel, o fermento é o que nunca me deixa ficar mal: Fermipan.


BROA DE MILHO


Ingredientes para a massa de levedura:
- 100g água
- 5g fermento de padeiro seco (cerca de 2 colheres de chá)
- 50g farinha de trigo tipo 65
- 1 colher de chá de açúcar

Ingredientes para a broa:
- 300g água
- 250g farinha de milho
- 30g azeite
- 1 colher de chá de sal
- 100g farinha de trigo tipo 65
- Azeitonas pretas em rodelas [a gosto]

Preparação da massa de levedura:
1. Coloque no copo a água, o fermento, a farinha, e o açúcar e misture 10 seg/vel 3. Retire para um recipiente e deixe levedar num local morno cerca de 30 minutos ou até dobrar de volume.

Preparação da broa:
2. Coloque no copo a água e aqueça 3 min/100°C/vel 1.
3. Adicione a farinha de milho e envolva 1 min/vel 3. Retire o copo da base para que arrefeça mais depressa e aguarde cerca de 10 minutos, até atingir os 37º. Adicione a massa de levedura, o azeite, o sal, a farinha de trigo e amasse 4 min/vel. espiga.
4. Retire a massa para um tabuleiro de forno polvilhado com farinha, molde uma bola e polvilhe com farinha. Deixe levedar num local morno cerca de 50 minutos ou até dobrar de volume. Entretanto, pré-aqueça o forno a 200ºC.
5. Leve ao forno pré-aquecido a 200°C cerca de 50-60 minutos. Deixe arrefecer sobre uma rede antes de servir.


2.1.17

Flapjacks - Deliciously Ella

Num ataque de fome em que estava prestes a vingar-me no chocolate, canalizei o meu excesso de energia indo para a cozinha preparar algo mais saudável. 
Gosto muito do livro "Deliciously Ella" [em português, As Delícias de Ella] da Ella Woodward, pois tem receitas muito simples e saudáveis. Folheei-o rapidamente e encontrei a receita de Flapjacks, designação dada no Reino Unido e na Irlanda às famosas barrinhas de cereais. Espreitei a lista de ingredientes, vi que tinha tudo o que precisava e deitei mãos à obra.
Como estava com alguma pressa [ou por outras palavras, com muita fome] e o método de confecção era fácil, não adaptei à Bimby. De qualquer forma, mesmo no tacho, é igualmente rápido.


FLAPJACKS
[Receita do livro "Deliciously Ella"]


Ingredientes:
- 3 canecas de aveia (360g)
- 2 bananas (200g)
- 6 colheres de sopa de xarope de ácer
- 6 colheres de sopa de manteiga de caju (ou de qualquer outra oleaginosa)
- 4 colheres de sopa de óleo de coco, mais um pouco para untar

Preparação:
1. Pré-aqueça o forno a 200º (ventilado 180º)
2. Coloque a aveia numa tigela.
3. Esmague as bananas com um garfo e junte-as, num tacho, ao xarope de ácer, à manteiga de caju e ao óleo de coco. Deixe cozer em lume brando até que se forme um líquido [no meu caso, ficou uma pasta e não um líquido].
4. Deite o líquido sobre a aveia e mexa bem, de forma a que esta fique totalmente submersa [neste passo, retirei o tacho do lume, juntei a aveia e misturei tudo directamente no tacho].
5. Unte um tabuleiro com óleo de coco. Deite a mistura no tabuleiro, pressionando-a com uma espátula, para que fique compacta.
6. Deixe cozer durante 10-15 minutos até que a superfície comece a ficar dourada.
7. Quando a massa estiver cozida, retire o tabuleiro do forno e deixe-o arrefecer completamente antes de cortar os flapjacks.


Nas primeiras duas dentadas não fiquei muito convencida com o sabor... Parecia um pouco estranho. Mas, assim que me familiarizei com com o primeiro quadrado, foi o que bastou para comer mais dois!