30.1.17

Como saber se um ananás ou um abacaxi estão no ponto?

Imagem retirada do Pinterest


Aqui está uma dica que eu desconhecia... Segundo dizem os entendidos, a melhor forma de ver se um ananás ou um abacaxi estão no ponto é puxar uma das folhas do interior da "coroa". Se soltar com facilidade é porque está no ponto, se oferecer resistência é sinal que ainda não está maduro.

Vivendo e aprendendo!

28.1.17

Um catering para 150 a 200 pessoas [ou o maior desafio de sempre da Formiga Amiga]

Sair da zona de conforto tem tanto de desafiante como de assustador, e sem dúvida que é nestas ocasiões que testamos os nossos limites e as nossas capacidades.
Quem me segue nas redes sociais, sabe que tenho um grande interesse pela culinária, sendo esta uma actividade que tenho vindo a desenvolver em ambientes mais familiares. Quinta-feira foi o dia em que me atirei para fora de pé, sendo responsável pelo catering para a inauguração do novo espaço da Full Fill, e para a qual contavam com o modesto número de 150 a 200 convidados!


Confrontada com o desafio de fazer um catering para tanta gente, a minha reacção inicial foi não me aventurar. Para além de ser da opinião que devemos deixar certos assuntos para quem tem experiência, tinha plena consciência da responsabilidade e do que estava em causa. No entanto, os clientes em questão não aceitaram o meu "não" tendo conseguido a proeza de transformá-lo num "sim". Devo confessar que fiquei tão entusiasmada como assustada e nos dias seguintes surgiram muitos medos... Medo do desconhecido, medo de não ser capaz, medo de alguma coisa falhar, por isso fiz a pergunta que faço muitas vezes: "se eu não tivesse medo, o que é que fazia?". Neste caso, aproveitava a oportunidade e tentava aprender e crescer com a experiência. E foi o que fiz.

Infelizmente, não tive tempo para fotografar nada, tendo conseguido apenas disparar o telemóvel no meio da correria, duas vezes e em segundos.

Parfaits de iogurte grego com frutos vermelhos e granola lola


Para terminar, só posso agradecer a todos os que contribuíram para o sucesso desta experiência, que teve tanto de enriquecedora como de esgotante! Ao Luís e à Susete pelo desafio, à Isaura por me ter recomendado, ao João Pedro [meu braço direito], à Maria Granel pelos maravilhosos chás que disponibilizou para o evento e por serem sempre tão atenciosas comigo, e a todas as pessoas que vieram ter connosco para elogiar o nosso catering.

Muito obrigada!

19.1.17

5 anos de Bimby - a despedida


Em 2012 descobri a Bimby, ao mesmo tempo que fui trabalhar para a Vorwerk. Fiquei de imediato fascinada com este robot de cozinha e, cinco anos depois, continuo a ser uma das maiores fãs.
Ao longo deste período aprendi muito, cresci a nível pessoal e profissional, descobri uma grande paixão pela culinária, fiz várias formações incluindo para líder de equipa [caminho que, por opção, decidi não seguir] e presenciei diferentes tipos de abordagens nas vendas. Compreendi, mais do que nunca, que o bom vendedor não é aquele que vende muito; é antes a pessoa que apenas vende quando e onde faz sentido e que está disponível para acompanhar o cliente posteriormente à sua aquisição. 

No meu percurso, conheci também várias pessoas que compraram a Bimby e cuja agente havia desaparecido imediatamente após a venda, clientes esses que "adoptei" [como dizemos carinhosamente na Vorwerk] e que passei a ajudar sempre que precisavam.
Em 2015 criei a Formiga Amiga com o intuito de estar ainda mais próxima, de partilhar receitas e dicas, e para que os meus clientes soubessem que tinham na minha página e no meu blog mais uma forma de se inspirarem e de estarem em contacto comigo. Olhando para trás, sinto o coração cheio por tantas pessoas boas que conheci e por tudo o que esta actividade me proporcionou.

Fico ainda mais feliz por saber que pertenço àquele grupo de pessoas que se esforça por fazer as coisas bem feitas e acredito, com todas as forças, que não há nada que pague o simples facto de deitarmos a cabeça na almofada e conseguirmos dormir descansados. 
No entanto, como em todos os locais, há os que se esforçam por trabalhar bem e de acordo com as normas da empresa e os que fazem questão de contornar as regras. Poderia ignorar o facto de haver agentes com outro tipo de valores [coisa que fiz noutras ocasiões, em nome do bom ambiente] mas o grande problema reside no facto dos que trabalham mal prejudicarem, e muito, quem tenta trabalhar de forma honesta.

Pensei muito antes de escrever este post, mas considero importante que os meus clientes saibam o porquê da minha saída, decisão esta tomada de forma muito consciente e ainda em 2016.

No ano passado, tive conhecimento de vendedoras que, alegadamente, faziam retomas de Bimbys TM31, tendo perdido várias vendas para essas pessoas. 
Problema: a Vorwerk não faz [nem nunca fez] retomas, logo o que estas agentes fazem é completamente desonesto. Compram as Bimbys antigas dos clientes por um valor baixo, dão esse valor como entrada na compra da nova Bimby e, posteriormente, vendem as máquinas mais caras em locais como o OLX. Apesar de ser proibido, começou o passa-palavra entre clientes, o que fez com que estas pessoas tivessem um grande sucesso nas vendas. Confesso que foi frustrante ouvir potenciais clientes a desistirem da compra, para irem comprar à vendedora da amiga que fazia retomas, mesmo depois de lhes explicar que isso ia contra as normas da empresa.

Para estes agentes pode até ser o "crime perfeito" mas quanto a mim tem um nome: concorrência desleal. Vários agentes honestos têm sido penalizados por este e por outros motivos, porque é impossível competir com este tipo de práticas e de ofertas.
Compreendo que para alguns clientes menos informados até possa ser aliciante... Querem muito a nova Bimby, conseguem "despachar" o modelo anterior e ainda ganham alguma coisa com isso [por pouco que seja]. Parece bom? Pensem bem... Só um copo completo custa mais de 200€, o que quer dizer que alguém que venda a sua Bimby antiga por este valor, já está a fazer um péssimo negócio. Seria mais rentável ficar com as duas Bimbys e dois copos, já para não falar que o modelo TM31 continua a ser uma excelente máquina.

Agora que têm esta informação do vosso lado, convido-vos a fazerem escolhas conscientes. Pensem se realmente gostariam de comprar o que quer que seja a um vendedor desonesto e interiorizem que sempre que compactuarem com este tipo de comportamentos, estão a prejudicar aqueles que trabalham de uma forma honesta. Além de, regra geral, ser este o tipo de vendedor que desaparece do mapa, não prestando qualquer assistência ou ajuda ao cliente.

E é por isso que o meu trabalho na Vorwerk deixou de fazer sentido... Decidi continuar a fazer apenas o que gosto através do blog, e sem a parte das vendas, já que há cerca de 1.500 agentes a fazê-lo a nível nacional.
Não queria encerrar este capítulo sem antes agradecer a todos os que me ajudaram de alguma forma, aos que me escolheram no momento em que compraram a Bimby, aos que me recomendaram aos amigos e à família, e a todas as pessoas impecáveis que conheci ao longo destes cinco anos! Não se preocupem pois estarei sempre deste lado, disponível para ajudar no que for preciso.

Até porque isto não é uma verdadeira despedida... A Formiga Amiga continua!

16.1.17

Bimby Pastas e Risotos

ÍNDICE ALFABÉTICO


C
Caldo de galinha
Caldo de galinha com tortellini de camarão
Caldo de legumes
Caldo de peixe
Cavatelli
Cavatelli com nabiças e lulas
Chapéus de bruxa
Chapéus de bruxa com curte-te e milho

E
Enrolados de espargos com ovo

L
Laçarotes com bacalhau marinado
Laços
Lasanha caprese
Lasanha de frango e tomate seco
Linguine com camarão e alcachofra
Linguine com salmão, queijo-creme e lima

M
Massa de beterraba
Massa de castanha
Massa de gemas
Massa de ovo
Massa de salsa
Massa de tinta de choco
Molho de tomate e vodka

N
Noodles
Noodles com frango e molho satay

O
Orecchiette

P
Pappardelle
Pappardelle com bacon e alho francês
Pappardelle com manjericão e azeite de alho
Penne
Penne com beringela no forno
Pesto de beterraba assada com amêndoa
Pesto de couve e avelã
Pesto de rúcula e noz

R
Ravioli
Ravioli com ovo de codorniz e molho de curgete
Ravioli com pesto de rúcula e noz
Rebuçados
Rebuçados de ricota com molho de tomate e ervilhas
Risoto à carbonara
Risoto à portuguesa
Risoto com cebola caramelizada
Risoto com feijão e couves
Risoto de alcachofra
Risoto de açafrão e mexilhão
Risoto de alho com tomate-cereja e mozarela
Risoto de bacalhau com grão
Risoto de borrego com couve-flor e pão picante
Risoto de cerveja, linguiça e cogumelos
Risoto de Champanhe com camarão e vieiras
Risoto de corvina e amêijoa
Risoto de especiarias com frango
Risoto de legumes assados
Risoto de limão e rosmaninho com ovo escalfado
Risoto de pera, noz e gorgonzola
Risoto de peru e espargos
Risoto de polvo
Risoto jamaicano
Risoto preto com chocos
Risoto verde com salmão

S
Spaghettini com mexilhão e molho arrabiata
Spaghettini cozido em vinho tinto com carne guisada
Spaghettini e Linguine

T
Tagliatelle
Tagliatelle com cogumelos e cebola
Tortellini
Tortellini de ervilhas com molho de gorgonzola
Trouxas de massa fresca com porco e vincotto

V
Vicotto

4.1.17

Índice de receitas - Revista Bimby nº 74 (01/2017)


 SOPAS 

• Caldo de frango e legumes
• Caldo de pato com noodles e nabiças
• Creme de espargos e vieiras
• Sopa de agrião com ovo cozido

 PRATOS DE PEIXE 

• Abóbora-manteiga com bacalhau e camarão
• Barrinhas de peixe
• Empadão de peixe
• Peixe e mariscos sobre massinha e caril de coco
• Quiche limpa-frigorífico do Natal
• Soufflé de atum
• Soufflé de marisco
• Tártaro de salmão
• Tigela de arroz com camarão
• Tortilha de atum no forno

 PRATOS DE CARNE 

• Arroz de vitela com legumes
• Lombo de porco recheado
• Penne com curgete e molho de coentros
• Peru com legumes
• Tigela Benedict
• Tornedós folhados com recheio de espinafres

 PRATOS VEGETARIANOS 

• Cogumelos recheados com quinoa
• Soufflé de alho-francês

 BOLOS E SOBREMESAS 

• Bolo-rei de caramelo
• Fritos aveludados de maçã
• Merengues surpresa
• Pequeno-almoço com compota de morangos e chia
• Soufflé de avelã com molho de chocolate
• Soufflé de limão
• Taça dos reis
• Tronco nevado de Natal

 PÃES 

• Pão de especiarias

 BEBIDAS 

• Margarita de toranja e romã
• Smoothie de frutos silvestres

Pão integral

Tentar juntar características como rapidez e facilidade em receitas saudáveis de pão, tem sido um dos grandes desafios no meu dia-a-dia. Os vários tipos de farinhas têm diferentes comportamentos e, não sendo uma especialista na matéria, tenho de testar cuidadosamente cada receita para me certificar que não comprometo o resultado.
Neste caso, a rapidez é apenas na preparação, uma vez que demora 50 minutos a levedar e mais 40 no forno, mas posso garantir-vos que vale a pena e não dá trabalho nenhum!

De qualquer forma, recomendo que leiam primeiro este post com várias dicas para conseguirem fazer um pão perfeito.


PÃO INTEGRAL
[duas versões da mesma receita]

Imagem 1
Pão integral com sementes por cima

Imagem 2
Pão integral com sementes no interior

Ingredientes:
- 430g água
- 20g azeite
- 2 colheres de chá de Fermipan [fermento de padeiro seco]
- 250g farinha integral de espelta [comprei na Maria Granel]
- 250g farinha de trigo integral
- 1 colher de chá de sal
- 100g de sementes variadas [sésamo, abóbora, girassol...]

Preparação:
1. Coloque as sementes num recipiente e tape com água. Reserve.
2. Coloque no copo a água, o azeite e o fermento e aqueça 2 min/ 37º/ vel. 2
3. Adicione as farinhas, o sal e as sementes previamente escorridas e misture 20 seg/ vel.6 - imagem 2 [poderá adicionar as sementes apenas no passo 5, distribuindo-as por cima da massa antes de levar ao forno - imagem 1]
4. Retire a massa para uma forma forrada com papel vegetal, tape com película aderente e deixe a levedar dentro do forno desligado durante cerca de 50 minutos.
5. No final do tempo, retire a massa e pré-aqueça o forno a 200º, colocando no seu interior um recipiente com água previamente fervida. Coza o pão durante cerca de 40 minutos, mantendo o recipiente com água no seu interior.


Retire e deixe arrefecer sobre uma rede.

3.1.17

Broa de milho

A broa de milho não é das receitas mais fáceis nem das mais rápidas de se fazer [precisará de cerca de 2h20m até ter a sua broa na mesa] mas não há dúvida que, quando vemos o resultado, todo o esforço compensa.
aqui tinha deixado uma outra versão de mini broas de milho com azeitonas mas desta vez optei pela versão tradicional, do livro "ABC da Bimby". A farinha de milho é biológica e veio da Maria Granel, o fermento é o que nunca me deixa ficar mal: Fermipan.


BROA DE MILHO


Ingredientes para a massa de levedura:
- 100g água
- 5g fermento de padeiro seco (cerca de 2 colheres de chá)
- 50g farinha de trigo tipo 65
- 1 colher de chá de açúcar

Ingredientes para a broa:
- 300g água
- 250g farinha de milho
- 30g azeite
- 1 colher de chá de sal
- 100g farinha de trigo tipo 65
- Azeitonas pretas em rodelas [a gosto]

Preparação da massa de levedura:
1. Coloque no copo a água, o fermento, a farinha, e o açúcar e misture 10 seg/vel 3. Retire para um recipiente e deixe levedar num local morno cerca de 30 minutos ou até dobrar de volume.

Preparação da broa:
2. Coloque no copo a água e aqueça 3 min/100°C/vel 1.
3. Adicione a farinha de milho e envolva 1 min/vel 3. Retire o copo da base para que arrefeça mais depressa e aguarde cerca de 10 minutos, até atingir os 37º. Adicione a massa de levedura, o azeite, o sal, a farinha de trigo e amasse 4 min/vel. espiga.
4. Retire a massa para um tabuleiro de forno polvilhado com farinha, molde uma bola e polvilhe com farinha. Deixe levedar num local morno cerca de 50 minutos ou até dobrar de volume. Entretanto, pré-aqueça o forno a 200ºC.
5. Leve ao forno pré-aquecido a 200°C cerca de 50-60 minutos. Deixe arrefecer sobre uma rede antes de servir.


2.1.17

Flapjacks - Deliciously Ella

Num ataque de fome em que estava prestes a vingar-me no chocolate, canalizei o meu excesso de energia indo para a cozinha preparar algo mais saudável. 
Gosto muito do livro "Deliciously Ella" [em português, As Delícias de Ella] da Ella Woodward, pois tem receitas muito simples e saudáveis. Folheei-o rapidamente e encontrei a receita de Flapjacks, designação dada no Reino Unido e na Irlanda às famosas barrinhas de cereais. Espreitei a lista de ingredientes, vi que tinha tudo o que precisava e deitei mãos à obra.
Como estava com alguma pressa [ou por outras palavras, com muita fome] e o método de confecção era fácil, não adaptei à Bimby. De qualquer forma, mesmo no tacho, é igualmente rápido.


FLAPJACKS
[Receita do livro "Deliciously Ella"]


Ingredientes:
- 3 canecas de aveia (360g)
- 2 bananas (200g)
- 6 colheres de sopa de xarope de ácer
- 6 colheres de sopa de manteiga de caju (ou de qualquer outra oleaginosa)
- 4 colheres de sopa de óleo de coco, mais um pouco para untar

Preparação:
1. Pré-aqueça o forno a 200º (ventilado 180º)
2. Coloque a aveia numa tigela.
3. Esmague as bananas com um garfo e junte-as, num tacho, ao xarope de ácer, à manteiga de caju e ao óleo de coco. Deixe cozer em lume brando até que se forme um líquido [no meu caso, ficou uma pasta e não um líquido].
4. Deite o líquido sobre a aveia e mexa bem, de forma a que esta fique totalmente submersa [neste passo, retirei o tacho do lume, juntei a aveia e misturei tudo directamente no tacho].
5. Unte um tabuleiro com óleo de coco. Deite a mistura no tabuleiro, pressionando-a com uma espátula, para que fique compacta.
6. Deixe cozer durante 10-15 minutos até que a superfície comece a ficar dourada.
7. Quando a massa estiver cozida, retire o tabuleiro do forno e deixe-o arrefecer completamente antes de cortar os flapjacks.


Nas primeiras duas dentadas não fiquei muito convencida com o sabor... Parecia um pouco estranho. Mas, assim que me familiarizei com com o primeiro quadrado, foi o que bastou para comer mais dois!